Estado de Alagoas

Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

» Página Inicial Sala de Imprensa Notícias PGE participa de Operação Polhastro
26/09/2017 - 09h03m

PGE participa de Operação Polhastro

Gaesf desmonta esquema de sonegação fiscal com fraudes em documentos públicos e privados

PGE participa de Operação Polhastro

Polhastro. Esse é o nome da operação desencadeada, nesta terça-feira (26), pelo Grupo de Atuação Especial de Combate à Sonegação Fiscal e aos Crimes Contra a Ordem Tributária, Econômica e Conexos (Gaesf) do Ministério Público Estadual de Alagoas (Gaesf) em parceria com a Secretaria Estadual da Fazenda (Sefaz), Procuradoria-Geral do Estado (PGE) e Polícias Civil e Militar. O procurador Ivan Luiz integra o Gaesf e participou de toda a investigação.

A ação tem o objetivo de desarticular uma organização criminosa especializada em fraudar documentos públicos e privados e cometer outros tantos ilícitos, a exemplo de sonegação fiscal, lavagem de bens e falsidade ideológica. Foram cumpridos dezenas de mandados de prisão, de condução coercitiva e de busca e apreensão.

A operação, deflagrada em Maceió, foi coordenada pelo promotor de justiça Cyro Blatter, que comanda o Gaesf. Segundo ele, o trabalho de investigação durou quatro meses e os alvos são empresários que podem ter causado um prejuízo de milhões de reais aos cofres públicos em função do não recolhimento de impostos e de transações irregulares. O promotor também informou que, por enquanto, ficou constatada a participação de 20 empresas e 45 pessoas no esquema.

“Já descobrimos, dentre outras coisas, que alguns dos verdadeiros donos das empresas usaram testas-de-ferro e laranjas para tentar despistar o Ministério Público, a polícia e a Sefaz. O que os suspeitos não contavam é que nosso método de apuração conseguiria chegar até eles”, disse Cyro Blatter.

A empresa Griffe do Frango é o principal alvo da Polhastro, uma vez que seu proprietário é acusado de ter provocado a maior parte dessa fraude que causou um prejuízo milionário ao Tesouro estadual. Ele, a esposa e o gerente da loja já estão presos e vão prestar depoimento aos integrantes do Gaesf. Na casa do gerente, inclusive, foram encontradas arma e munições. Um revólver de calibre 38, munições de fuzil 76, de 12 e de .45 foram apreendidos.

Foram cumpridos seis mandados de prisão preventiva, 16 mandados de condução coercitiva e oito mandados de busca e apreensão, todos expedidos pela 17ª Vara Criminal da Capital. Tais mandados foram contra a principal empresa envolvida no esquema, as 19 que servem como laranjas, os seus sócios e os responsáveis pela fraude fiscal. O colegiado também determinou o bloqueio de bens dos envolvidos.

 

Polhastro

Polhastro, nome espanhol dado à operação, faz alusão a duas coisas: alguém que é considerado ‘espertalhão’, que tenta tirar vantagem sobre alguém ou alguma coisa, e também significa frango grande.

Ações do documento

banner_lai+sic_LATERAL-A-PLONE3.jpg
banner_lai+sic_LATERAL-B-PLONE3.jpg

banner_GERAL_LATERAL_sic-plone3.jpg

banner-transparencia.jpg

integra

diario-oficial.jpg

Fale Conosco

faleconosco.gif

portal-do-servidor.png